Histórico


A história pode ser narrada de várias maneiras. A melhor delas é quando você faz parte da trajetória...

História da Escola SENAI ‘Antônio Souza Noschese”

A instalação de uma escola SENAI para atender a formação de mão de obra para o parque fabril na baixada santista foi pleiteada pela sociedade civil e política da época, junto ao Conselho Regional do SENAI. Após alguns anos de reivindicação, a Escola SENAI de Santos entrou em operação em março de 1957, oferecendo 222 vagas nos cursos de aprendizagem industrial de ajustagem, tornearia mecânica, eletricidade, mecânica de automóveis, carpintaria e carpintaria naval.

A solenidade de inauguração ocorreu no dia 21 de setembro de 1957.  Entre os convidados, estava o Sr. Antônio Souza Noschese, cujo nome foi dado à escola em reconhecimento, pelo Conselho Regional do SENAI, à sua expressiva atuação empresarial no cenário nacional da época.

Inicialmente, a escola foi composta por um prédio térreo, que abrigava as oficinas, salas de aula e biblioteca, e outro prédio com dois pavimentos, no qual se situava a área administrativa, refeitório e internato, o qual poderia abrigar até 120 alunos. Vale destacar a arquitetura, que aproveitava a iluminação e a ventilação natural, com uma fachada de vidro, amplas portas e elementos vazados, além de dar visibilidade para pessoas que por ali passavam e assim incentivar o estudo profissionalizante.

A escola passa a operar no período noturno, em 1961, com a oferta de cursos de qualificação gratuitos denominados “extraordinários”. Foram elaborados para possibilitar a qualificação de trabalhadores que buscavam o aprimoramento profissional ou a recolocação no mercado de trabalho.

Em 1962, foi concluída a ampliação das instalações, com entrega de um galpão anexo para abrigar os cursos de aprendizagem chapeador naval.

O perfil da escola começou a mudar com a inauguração da área de instrumentação e realização dos primeiros treinamentos nesse segmento, em 1975. No ano seguinte, o Curso Técnico de Instrumentação, pioneiro no Brasil, foi implantado na escola, a partir do trabalho junto a uma equipe de engenheiros das indústrias de Cubatão, coordenado por técnicos do SENAI.

Sabia-se que, com passar dos anos, os técnicos de instrumentação formados e ativos nas indústrias necessitariam se reciclar com treinamentos de aperfeiçoamento ou especialização na área tecnológica de atuação. Para atender a essa demanda, iniciou-se, nos primeiros anos da década de 80, a implantação de novos laboratórios na área de instrumentação e eletrônica. Esse modelo de atendimento perdurou até o final dos anos 80 e a metodologia técnica-pedagógica foi aplicada em muitas escolas do SENAI-SP.

Em 1980, foi implantado o Curso Técnico de Siderurgia para atendar à Companhia Siderúrgica Paulista – COSIPA. Esse curso, descontinuado em 1987, possibilitou o nivelamento técnico de dezenas de operadores siderúrgicos da empresa.

Ainda início dos anos 80, foi construído um novo prédio de dois pavimentos no lugar do galpão anexo, onde eram desenvolvidos os cursos de carpintaria naval. Nesse momento, o mercado de trabalho não requeria mais profissionais desse setor, pois a indústria naval de embarcações de madeira estava descontinuando. Esse novo prédio abrigaria oficinas de elétrica, salas de aula, biblioteca e refeitório, otimizando a operação da escola e proporcionando maior qualidade aos alunos.

Em meados da década de 90, as equipes técnicas de todas as áreas da escola se envolveram na reconfiguração da oferta dos cursos, até então oferecidos exclusivamente no período noturno, gratuitos e com poucas opções. Nasciam os “Cursos Especiais”, assim denominados na época, estruturados com a finalidade de garantir a possibilidade de formação profissional continuada aos interessados. Esses cursos, além de serem pagos, eram ofertados nos três períodos e aos sábados. Nos anos seguintes, esse modelo passou a ser reproduzido por toda rede SENAI.

A década de 90 foi marcante para a escola no âmbito da gestão pela qualidade. Inicialmente, a escola alinhou um movimento institucional para implantar a cultura da qualidade. Em 1995, aderindo ao modelo interno de gestão pela qualidade, desenvolvido pelo DN-Departamento Nacional, a escola obteve o título de CENATEC – Centro Nacional de Tecnologia de Instrumentação e Controle de Processos.

Em 2000, a escola se integrou às solenidades comemorativas dos 1500 anos do descobrimento do Brasil. Foram construídas, em maquete totalmente em madeira, as 13 naus da Esquadra de Cabral, as quais, pela beleza e fidelidade dos detalhes, fizeram parte de um circuito itinerante de exposição pelo país, chegando até a Brasília.

Nesse mesmo ano, diversificou-se os cursos de nível técnico, com a implantação do Curso Técnico de Automobilística, Eletroeletrônica e  Informática, otimizando a alocação dos docentes, laboratórios e oficinas.

No ano de 2003, a escola obteve a certificação ISO 9001/2000, fazendo parte da ação mobilizadora do DR-SP para certificar todas unidades do SENAI-SP.

Entre 2006 e 2009, a escola disponibilizou, para os municípios atendidos, cursos de qualificação em várias áreas tecnológicas. Para tanto, foi adotado um modelo itinerante, que mobilizava docentes e recursos educacionais aos municípios conveniados com a Escola SENAI de Santos.

Em 2011, foi implantado o Curso Técnico em Portos, inicialmente no período noturno. No mesmo ano, a partir da premissa de que o setor portuário deveria ter um atendimento estruturado, elaborou-se o projeto que deu origem à área portuária escola.

No ano de 2012, a escola passou a sediar a Faculdade SENAI Santos, oferecendo o Curso Superior de Tecnologia em Instrumentação Industrial, o qual teve sua denominação alterada para Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial, a partir de 2017.

Esses últimos projetos, aliados à perspectiva de um atendimento direcionado ao setor de petróleo e gás, levaram à constatação de que seria necessária a utilização de novos espaços, inexistentes na edificação da época.

Esse mote, relacionado à manutenção predial onerosa e falta de acessibilidade do local, levou a alta direção do SENAI-SP, em 2013, à decisão pela construção de uma nova escola. Assim, em 2014, a escola mudou de endereço, passando a ocupar uma instalação provisória. Além disso, os três prédios que compunham a instalação antiga foram demolidos. Devido ao cenário político e econômico que se instaurou ao final de 2014, foi decidido não iniciar a obra, para que, em momento oportuno, retome-se a construção da nova edificação.

No prédio que o SENAI de Santos passou a ocupar, que apresenta maior área e conforto para os alunos, foi possível desenvolver novos projetos, que demandavam a instalação de novos laboratórios e oficinas. Destaca-se o laboratório de simulação portuária, oficina de panificação, refrigeração, automação predial, infraestrutura de redes de computadores e áreas classificadas.

Em 2016, iniciou-se o curso de pós-graduação lato senso MBA em Gestão Portuária, o qual foi desenvolvido por meio de uma parceria entre o SENAI e uma renomada instituição holandesa de ensino no setor portuário.

Exportar Calendário


Você pode exportar os eventos da escola para o Apple iCal, Microsoft Outlook ou Google Calendar.

Fechar